Os 3 maiores erros na revalidação de diploma estrangeiro e como corrigi-los.

estudante revalidação de diploma

Algumas crenças sobre revalidação de diploma estrangeiros podem te prejudicar ao iniciar o processo.

 

Já ouvi diversos clientes e estudantes perderem dinheiro e tempo por ouvirem conselhos sem nenhum fundamento jurídico.

 

E olha que eu nem citei o monte de conteúdo desatualizado e equivocado na internet! Olha o perigo! hehehe.

 

Por isso, reuni os 3 maiores erros que as pessoas que estão prestes a fazer a revalidação de diploma cometem e muitas vezes colocam tudo a perder.

 

Mas fique tranquilo! Pois além de citar os erros, irei abordar como solucioná-los também.

Continue lendo e veja como você pode fazer para evitar cometer esses erros:

1º Erro: Não juntar todos os documentos e não legalizá-los da forma correta.

Esse é um dos maiores erros que as pessoas cometem ao tentar a revalidação de diploma, acabam se preocupando demais com provas e esquecem a documentação.

 

As universidades são extremamente rigorosas com a documentação necessária para prosseguir com a sua revalidação e na ausência de qualquer um dos documentos o resultado é o mesmo: indeferimento!

 

Outro erro relacionado aos documentos é esquecer das formalidades exigidas.

 

Quando falamos de documentos estrangeiros são duas as exigências necessárias: tradução juramentada e apostilamento.

 

Mas Dra. Tamires porque eu preciso traduzir meus documentos?

 

Isso se dá porque o Brasil é um país soberano e por isso as documentações oficiais estrangeiras precisam passar por um processo de tradução e validação no Brasil feitas por um órgão oficial, e assim o documento passa  a ser válido também aqui.

 

Curioso não?

 

Na prática você terá que procurar um tradutor juramentado em um cartório e solicitar a tradução de todos os seus documentos de origem estrangeira que estejam em uma língua diferente do Português. 

 

Essa tradução custa por volta de R$ 60,00 a R$ 180,00 a depender do número de páginas e pode ser realizada em cartório.

 

Ah! Por conta de tratados internacionais, os documentos oriundos de outros países que adotaram a língua portuguesa não precisarão passar pela tradução, são exemplos desses países: Angola, Congo e Portugal. 

 

Legal né?

 

Já em relação aos apostilamento ele é um certificado emitido pelo governo comprovando que sua documentação é autêntica, essa facilidade decorre da Convenção de Haia, que é um tratado internacional para facilitar a comunicação e tramitação de documentos entre os países que o assinaram.

 

Se o país de origem do seu diploma for membro desta convenção, você não precisará autenticar o documento folha por folha, basta apostilar os documentos.

 

O valor do apostilamento varia de acordo com o seu Estado, para consultar a tabela oficial basta clicar aqui.

 

Agora eu vou te dar um exemplo prático sobre esse erro:

 

Imagine que Paulo estudou na Argentina, abdicou de família, lazer e amigos para alcançar o seu grande sonho de se graduar na área que sempre amou.

 

Ele batalhou muito e conseguiu se formar, a partir disso a saudade bateu e resolveu voltar para o Brasil perto da sua família.

 

Mas descobriu que para trabalhar na sua área de formação seria necessário passar por um processo de revalidação de diploma estrangeiro e para isso precisaria cumprir alguns requisitos, sendo um deles a apresentação de documentação.

 

Logo juntou toda a documentação e foi fazer as traduções, mas Marcos seu amigo particular e professor de línguas ofereceu fazer a tradução sem custos, como forma de incentivo.

 

Para a surpresa dele, essa tradução não teve efeito e seu pedido ainda foi indeferido, o que ocasionou a perda de tempo e de dinheiro das taxas.

 

Isso quer dizer que a tradução particular não é aceita no processo de revalidação e sim somente a juramentada.

 

Vou deixar aqui embaixo um checklist com as documentações necessárias:

documentos para revalidação de diplomas

2º Erro: Não pesquisar o histórico da universidade revalidante antes de fazer o pedido de revalidação de diploma.

Esse é um dos maiores casos que aparecem aqui no escritório.

 

As pessoas acham que depois de juntarem todos os documentos estarão seguras para protocolarem o pedido de revalidação de diploma, mas não é bem assim.

 

Muito cuidado! Cada universidade adota critérios para avaliar documentos, grades e até mesmo a qualificação dos professores do seu curso, por isso é normal que algumas universidades aprovem a revalidação com mais frequência do que outras.

 

É muito importante ter olhar estratégico nesse momento!

 

Vou citar um caso prático, pois sempre deixa tudo mais fácil, vamos lá!

 

Exemplo:

 

Geraldo foi assessorado e reuniu toda a documentação corretamente, assim como as traduziu e providenciou o apostilamento.

 

No momento de escolher a universidade revalidante optou por escolher uma instituição de ensino mais próxima da sua casa, pois seria mais fácil resolver um problema, caso necessário.

 

Porém Geraldo não observou que essa universidade possuía um mal histórico de revalidações e a sua grade era totalmente diferente da grade da instituição.

 

O que aconteceu?

 

Infelizmente Geraldo sofreu com um indeferimento por incompatibilidade de grades.

 

Esse erro é comum aqui no escritório e aqui vai um conselho: não se deixem levar pela comodidade! O sucesso da sua revalidação depende de estratégia e você precisa ter esse olhar.

 

Uma das formas de solucionar esse problema é pesquisa no portal Carolina Bori, a relação de universidades que aderiram a tramitação simplificada e que possuem um bom histórico de revalidação.

3º Erro: Se basear somente em informação da internet.

Devido à imensidão de informações presentes na internet, é comum as pessoas ficarem confusas e não saberem em quem confiar.

 

Um bom caminho é verificar a data da publicação, pois as regras de revalidação mudam todos os anos e ler uma informação desatualizada vai te desenformar em vez de informar.

 

Comece a pensar na sua revalidação de diploma anos antes de dar entrada no processo e não saia escolhendo a universidade sem analisar qual o melhor cenário para o seu caso, ok?

 

Como te mostrei nos exemplos, é muito fácil ter um indeferimento e perder dinheiro e tempo no processo.

 

Separei alguns posts que julguei relevante para te ajudar nessa caminhada:

  1. Quais os maiores erros na hora de pedir a revalidação de diplomas em 2022?
  2. Quais são as 3 formas de revalidação de diploma no Brasil
  3. Confiei na Universidade e isso me custou a revalidação de diploma estrangeiro.

Gostou deste post? Nós temos mais conteúdos como este para te contar, para receber todas nossas informações exclusivas, inscreva-se em nossa Newsletter!

0 0 Votos
Classificação do Post
Inscreva-se
Notificar de
guest
2 Comentários
Mais antigo
O mais novo Mais votados
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Javier Martínez
Javier Martínez
1 ano atrás

Boa noite. No caso eu perdi o projeto pedagógico da universidade onde estudei (fora do país) e tenho somente cópia da mesma. Como devo proceder?

Você também pode se interessar por:

  • All
  • Direito Imobiliário
  • Direito Militar
  • Homologação de Sentença Estrangeira
  • Outras áreas de atuação
  • Revalidação de Diploma Estrangeiro
  • Revalidação de Diploma no Exterior
Prev
123
2
0
Clique aqui para fazer um comentário nesse post.x
× Como posso te ajudar?